Sumário Nacional de Avaliação Genética – Raça Nelore – PMGZ

Como resultado do programa de melhoramento genético da Fazenda Vale do Boi, seus produtos são presença destacada no Sumário Nacional de Touros das Raças Zebuínas (Nelore) – Embrapa / ABCZ.

Veja os resultados da Vale do Boi em 2012

O Sumário

Anualmente a Associação Brasileira dos Criadores de Zebú (ABCZ) em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) realiza a avaliação genética de dezenas de milhares de reprodutores Nelore ( mais de 37.000 em 2010 ) a partir dos dados de milhões de progênies ( mais de 3.000.000 em 2010 ) em todo o país.
O trabalho é realizado desde 1987, fruto do convênio assinado entre o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, ABCZ e EMBRAPA com a participação do Centro Nacional de Pesquisa
de Gado de Corte.
O Sumário Nacional de Touros é um instrumento fundamental no processo de seleção, apontando os melhores produtos.
A avaliação é conduzida utilizando-se informações dos pesos das progênies dos referidos touros, obtidos pelo Controle de Desenvolvimento Ponderal (CDP) coordenado pela ABCZ e realizado em todo o país. Com base nestes dados, são calculados os pesos à Fase Materna (PM), à Desmama (PD) e ao Sobreano (PS), bem como os ganhos pré e pós-desmama (GND e GPD, respectivamente). Finalmente, para todas estas características, são estimadas as Diferenças Esperadas na Progênie (DEPs) diretas e maternas. O grupo das características reprodutivas avaliadas inclui a Idade ao Primeiro Parto (IPP), Intervalo entre Primeiro e Segundo Partos (I2P), Intervalo entre os Outros Partos (IOP) e Perímetro Escrotal ao Sobreano (PES). Para estas características, são estimadas as DEPs diretas.

CONCEITOS GERAIS

Grupo contemporâneo
É o conjunto formado por animais da mesma raça, do mesmo sexo, nascidos no mesmo ano e época, manejados, na mesma fazenda, de forma semelhante até a mensuração da característica.
Diferença esperada na progênie (DEP)
Estimada com base nas informações do próprio indivíduo e/ou de seus parentes, conforme Brinks (1990), a DEP é a diferença esperada na média das performances das progênies futuras de determinado touro em relação à média das diferenças esperadas das progênies futuras de todos os touros que participaram da mesma avaliação (para o caso de base genética móvel, como é neste trabalho), considerando em ambos os casos acasalamentos com conjunto de vacas que tenham, entre si, o mesmo potencial genético.
A DEP é expressa na unidade de medida da característica em questão, de maneira a possibilitar comparações relativas entre os touros.
Exemplo: se um dado touro X tem uma DEP de + 30 g/dia e um touro Y tem DEP de + 60 g/dia, isto significa que se espera que a média das performances das progênies do touro Y seja 30 g/dia superior à média das performances das progênies do touro X.
A DEP de um animal, sendo uma estimativa, não é um valor estático, isto é, pode mudar em função da variação do número de informações tomadas em qualquer de seus parentes.
DEP – efeito materno
É a diferença esperada na média das performances das progênies futuras das filhas de determinado touro, em relação à média das performances das progênies futuras das filhas de todos os outros touros que participaram da avaliação, respeitando-se os mesmos requisitos para os acasalamentos, como mencionado anteriormente.
Cabe ser ressaltado que em relação à cria (progênie) o efeito materno é estritamente efeito de meio ambiente.
As diferenças genéticas que existem entre fêmeas, quanto a proporcionarem melhor ou pior meio para o desenvolvimento de suas crias, são que constituem o efeito materno. A par disto, podem ser encontrados touros cujas filhas tenham efeito materno negativo e desmamem boas crias. Isto pode acontecer, quando o efeito direto (capacidade genética de desenvolvimento) transmitido do pai aos netos (via filha) compensar o efeito materno negativo. Desta forma, o Total Materno (TM) é positivo. O inverso também pode ocorrer. O Total Materno é, pois, resultado da soma da ½ DEP direta + toda a DEP materna da característica.
Acurácia
Acurácia refere-se ao grau de confiança depositada na precisão da estimativa da DEP. De outra maneira, a acurácia estima a correlação entre o valor estimado e o valor real da DEP do animal. O valor da acurácia pode variar entre 0,0 e 1,0. Em geral, valores de acurácias entre 0,7 e 1,0 indicam que a DEP não deve variar drasticamente, devido à alteração no número de informações relativas a determinado animal, indicando baixo risco. Por outro lado, valores de 0,0 a 0,3 indicam que consideráveis mudanças podem ocorrer em novas estimativas das DEPs de animais, em função da variação no número de observações relacionadas a estes indivíduos, concorrendo para alto risco. Valores intermediários aos citados acima, indicam risco moderado.
Cabe ressaltar que o valor da estimativa da DEP é independente da sua acurácia. Isto quer dizer que, na prática, a DEP é que deve ser o elemento de decisão de se usar ou não determinado touro, sendo a acurácia indicadora da definição da intensidade do seu uso.
A expressão matemática utilizada para o cálculo da acurácia é a recomendada para gado de corte pelo Beef Improvement Federation (Bertrand et. al., 2002) dos Estados Unidos.
Percentil
Indica qual a posição do animal para determinada DEP ou índice, relativo ao número de animais avaliados. Para esta edição são apresentados dois percentis. O primeiro, como nas edições anteriores, classifica o animal dentro de toda a população, denominado percentil na população, cujo símbolo é “% POP”. O segundo, classifica o animal dentro de sua categoria (touros, matrizes ou produtos) chamado percentil nos animais ativos, indicado por “% AT”. A inclusão desta nova estatística, “% AT”, para a DEP de cada uma das características e para o IQG tem como objetivo oferecer maior rigor na seleção, em especial no que se refere a rebanho, uma vez que a classificação se baseia nas médias dos animais ativos dentro de sua categoria (são considerados ativos, os touros e matrizes que tem filhos nascidos a partir do ano de 2003, e os produtos nascidos a partir de 2003). O percentil continua variando de 0,1 a 99%.
Tendências Genéticas
É a regressão das DEPs de cada uma das características em relação ao ano de nascimento, estimadas pelo método de quadrados mínimos ponderados.
Índice de Qualificação Genética
O estabelecimento de um índice tem por objetivo agregar em um único valor classificatório a contribuição genética do animal nas características escolhidas para seleção, considerando-se graus de importância para cada uma delas. É portanto um valor empírico, onde as DEPs são padronizadas, multiplicadas por pesos relativos e somadas para formar o índice. O índice de qualificação genética sugerido é 10%*PM-EM + 15%*PD-ED + 20%*TMD + 15%*PS +15%*GPD + 15%*IPP + 5%*I2P + 5%*PES, onde PM = peso à fase materna, PD = peso à desmama, TMD = total maternal do peso à desmama, PS = peso ao sobreano, GPD = Ganho de peso pós-desmama, IPP = idade ao primeiro parto, I2P = intervalo entre primeiro e segundo partos e PES = perímetro escrotal ao sobreano.
Mais informações:
O sumário completo pode ser consultado em:
Veja sumário completo (ABCZ)
Veja Sumário completo (Embrapa)
Downloads (Embrapa)

Produção e comercialização de reprodutores e matrizes Nelore PO melhoradores e com avaliação genética (PMGZ – ABCZ). Carmolandia Araguaina Tocantins. Produtos ( touros, novilhas, vacas ) a venda na fazenda. Próximo aos estados do Pará, Maranhão e Goiás.